Show de Scorpions em João Pessoa

Eu não esperava ir ao Show de Scorpions, eu não esperava me divertir tanto, eu não esperava que chovesse, que minha câmera ficasse rosa… Mas o inesperado (fora a câmera ficar rosa) é divertido.

 

 

Anúncios

Boa educação, por favor

Quando se fala em boa educação pensamos logo em grau de escolaridade. Não! Algumas pessoas são educadas independente de onde estejam, simplesmente, são. E basta viver para saber como as pessoas são mal educadas. As vezes, você vai em um tribunal e lá tem gente mal educada (seja o  juiz, servidor ou servente) e em qualquer canto. Trabalho numa Universidade e sinto isso na pele, educação que não melhora com o grau de escolaridade. Pois se fosse assim no meu trabalho deveriam haver as pessoas com melhor educação, não? 

Educação vem de berço, mas com a globalização da família e a ausências dos pais fica difícil educar um filho. A escola, que deveria ser responsável por parte da educação, acabou sobrecarregada cheia de obrigações. Em relação a isso, a escola deveria auxiliar e não educar completamente. Os pais acabam deixando o ônus de educar de lado isso devido a culpa pela ausência. Não se pode apenas passar a mão na cabeça e aceitar todo tipo de comportamento em nome da “paz familiar” e da “culpa.  Reparando nos shoppings, nos ônibus, nas salas de aula, no ambiente de trabalho, cinema, trânsito… Todo canto há gente mal educada e parece ser uma epidemia mundial.  Embora devesse haver, não há uma correlação entre uma boa educação e nível de escolaridade, religião ou o que for. A impressão que temos é que os educados são minoria e são tratados como bobos pelo resto do mundo.  Já vi muita criancinha pequenininha pedindo com licença (meu primo), agradecendo ao receber algo ou coisa assim.

Minha irmã, uma pena, é uma menininha mal educada. Costuma não dá bom dia ou agradecer as pessoas que estão a sua volta. E isso, quase sempre, me dá nos nervos, pois não sou assim. Minha cunhada costuma dizer que pareço uma criancinha que está aprendendo a ter educação sempre dizendo ” muito obrigada” e “com licença”.

Continuar lendo

O que é auto-ajuda?

Auto-ajuda refere-se a qualquer coisa que possa ajudar o indivídua a si transformar, melhorar. Seja aprimorar na forma econômica, espiritual, intelectual ou emocionalmente. Hoje é um lucrativo ramo literário.

Os critícos afirmam que esse tipo de literatura vendem falsas esperanças, iludindo uma camada desdesperada da população. Segundo, a CBL – Câmara Brasileira de Livros – em 2000 o segmento de livros de auto-ajuda cresceu 7% no Brasil.

Confesso, eu tinha um certo preconceito quanto a esse gênero literário, isso porque achava vinculado ao charlatanismo e não me imaginava nesse tipo de nicho de mercado. Hoje, alguns livros de auto-ajuda encontram na lista dos livros que pretendo reler. Três dos quatro livros que estou lendo são de auto-ajuda e vários já estou juntando dinheiro para comprar. Não pretendo ficar presa a esse tipo de leitura, mas, sinceramente estou adorando.

A principal dica que dou é “não acredite em milagres”, mudanças reais necessitam de tempo, livros que prometem soluções em uma semana, com certeza, estão na coluna do charlatanismo.

Para mim, os livros funcionaram um pouco. Acho que cresci muito mais trabalhando com meu cunhado e aprendendo na prática que o mundo é bem diferente do que na teoria, do que lendo esses livros. Mas alguns conceitos, filosofias ou ideias venho seguindo. A segunda dica é “mescle”, você não precisa seguir o conselho do seu guru (kkk) completamente, aprenda alguma coisa, aplique outras e jogue o que não achar interessante fora. Algumas coisas são totalmente inaplicáveis outras devem ser melhoradas e algumas são,simplesmente,  boas do jeito que são.

Você não é culpado por todo o mal que tem na sua vida, com certeza. Mas será capaz de transformá-la se tomar as rédeas dela.

Continuar lendo

Jon e Kate +8

 

Hoje assisti ao último episódio de ‘JON AND KATE +8″ e fiquei bem triste. Já sabia que eles estavam se separando, que o Jon havia traído a Kate, que ele havia definido a relação como um   “total colapso de tudo”. Mas não sei, não consegui segurar as lágrimas ao ouvir a Kate falando da separação no ar.

Quando ela disse que se a vissem dirigindo o carro da família com as crianças e sozinha, para comprar sapatos, levá-los a escola, deveriam lembrar que o lugar dela não era no volante e sim no lado do carona, naquela situação faltava alguém ao seu lado, o Jon. E era uma situação que ela não queria e sempre faltaria ele.

Noivamos

Eu sei que prometi nunca mais sumi, mas a vida anda muito ativa e fica difícil não sumir desse jeito

Peço desculpas pela falta de tempo, meu noivo vive me dizendo vá escrever no seu blog, não abandone seu blog. Mas é difícil não abandonar. Peço que me desculpem!

Em primeiro lugar: NOIVEI!!!! Sim, fiquei noiva. Não foi exatamento do jeito que tínhamos planejado, mas quem disse que a vida tem que ser exatamente  como planejamos?

Continuar lendo

simplesmente amor…

Já dizia o poeta “todos os enamorados são ridículos”, ridículo quando acaba. Porque durante o relacionamento tudo são doces, apelidos e pequeninos detalhes… Só quem ama para achar um apelido ridículo dedicatória ou passar horas conversando sobre o nada, olhando nos olhos e se arrepiando no simples toque. Amar é bom demais!

Eu fico triste ao pensar que nunca mais haverá um primeiro encontro, um primeiro beijo… – mas haverão outros primeiros. Você lembra quando telefone tocava e “será que era ele…”.

No início do namoro eu e Natalício nunca achávamos que era tempo suficiente, as vezes passávamos o dia inteiro juntos e dava uma vontade de chorar quando ele ia embora. Como se fosse a última vez… As vezes, íamos ao Pão de Açúcar só para ter mais um momento nosso.  Nunca era o bastante.

Hoje, passados quase 3 anos, ainda sinto um amor insuportável balançar no meu peito, saudade infinda ao passar um dia sem vê-lo. E amá-lo nunca é o bastante. Simplesmente o amo. Algumas vezes olho para ele e penso “sorte, sorte na vida. filhos feitos de amor!”. Amo demais meu namorado.

Sex and the City (a série)

Enquanto não vou assistir ao filme (vou sábado com Cibelly), falo sobre a série

Uma série que fala sobre amizade, amor e moda (não nessa ordem) para as mulheres, transformou-se num sucesso mundial levando Sarah Jessica Parker ao statu de diva da moda, a “rainha Midas” da moda.

As garotas são de Manhatan, mas poderiam morar em Tambaú, Cabo Branco, Copacabana, Boa Vista…Qualquer canto do mundo, porque o assunto que elas abordam não precisa de nacionalidade, é universal, as quatro amigas – Samantha, Miranda, Charlote e Carrie – em algum momento de sua vida, você tem a certeza de que ela está falando para você.

Se você acompanha a série, você tem aquele episódio que diz: “Esse episódio foi feito pensando em mim!”.

Continuar lendo