Ensaio de gravidez

Ragi já está com quase um mês, completa dia 16 de outubro. 

O ensaio foi feito no mês de agosto com a participação toda especial de Natan. Quando a gente tem o segundo filho deseja que ele participe de tudo, que se sinta incluído no processo.

Essas são algumas fotos do ensaio que fizemos para comemorar a chegada de Ragi, eu estava com 8 meses, mas minha fotógrafa recomendou que fizéssemos no sexto mês pois a mamãe não está tão inchada.

E foi muito bom vê o resultado das nossas fotos. Vê esse momento tão especial na vida de uma mulher eternizado. Foi esse o resultado:

11924224_1609252939334953_9136406469744110488_n 11061348_1609252906001623_2470647417721930100_o 11224769_1609252892668291_4086773602792541507_n 11855872_1609253092668271_8588614331674489368_n 11884064_1609252869334960_8872887642053090384_o11907211_1609316409328606_2134496090860592709_n

Jon e Kate +8

 

Hoje assisti ao último episódio de ‘JON AND KATE +8″ e fiquei bem triste. Já sabia que eles estavam se separando, que o Jon havia traído a Kate, que ele havia definido a relação como um   “total colapso de tudo”. Mas não sei, não consegui segurar as lágrimas ao ouvir a Kate falando da separação no ar.

Quando ela disse que se a vissem dirigindo o carro da família com as crianças e sozinha, para comprar sapatos, levá-los a escola, deveriam lembrar que o lugar dela não era no volante e sim no lado do carona, naquela situação faltava alguém ao seu lado, o Jon. E era uma situação que ela não queria e sempre faltaria ele.

Noivamos

Eu sei que prometi nunca mais sumi, mas a vida anda muito ativa e fica difícil não sumir desse jeito

Peço desculpas pela falta de tempo, meu noivo vive me dizendo vá escrever no seu blog, não abandone seu blog. Mas é difícil não abandonar. Peço que me desculpem!

Em primeiro lugar: NOIVEI!!!! Sim, fiquei noiva. Não foi exatamento do jeito que tínhamos planejado, mas quem disse que a vida tem que ser exatamente  como planejamos?

Continuar lendo

Perdendo a oportunidade de ficar calada…

 

calada

Você já perdeu uma boa oportunidade de ficar calada? Eu quase sempre perco! Ontem sai para comer empadinha com minha sogra e minha cunhada. E a conversa era aposto. Sim, aposto! E discutimos que usamos muito aposto a mulher: “Oi, querida, tudo bem?”, já o homem: “Ei, via**, vamos a praia?”. Cada um do seu jeito. Eu e minha cunhada falamos muito “mulher”: Mulher, eu neeeem te conto!”. E eu falei a besteira: “As pessoas que usam esse “querida”, geralmente, são falsas.” Cala-te, boca. Minha sogra bem educada: “Eu falo muito, mas é questão de costume, não de falsidade…”. Porque não fiquei calada? Para corrigir eu ainda emendei uma besteira média: “Mas gente da sua idade usa muito mesmo…”.

Continuar lendo

Prazeres da vida a dois…

11922940544wDXoG
“Quero que saíba que sou feliz, e que sua casa é uma gracinha!
E se as vezes eu choro a noite é que me lembro da minha mãezinha”

Um dos prazeres da vida a dois é saber como enlouquecer o outro, pelo simples prazer de enlouquecê-lo ou irritá-lo, faço um estágio com Ramon para um dia enlouquecer Natalício.

As dicas são simples, você pode começar com a repetição, uma piada sem graça é menos engraçada quando repetida milhões de vezes:
Assistindo LOST com Ramon:
“Por que esse som está alto?”, para a piada ter graça faça um silêncio e deixe ele repetir a pergunta, “Esse som não está alto?”
Continue em silêncio, “Você é surda?” finalmente o trunfo: “Hein?”. Então, sempre que discurssão tomar o rumo do volume da televisão repita essa piada.

Outra dica são as pequenas coisas.
Estrale os dedos, repita as falas de um filme, faça barulho com a boca, olhe para o alto até ele olhar também e depois saia fingindo achá-lo maluco.

Com Natalício eu faço coisas do tipo “Peitxinhu, sucaquinhu, buchinhu…”, fora isso fico imitando ele ou interrompendo na hora do jogo. Nada enlouquece mais um homem do que interrompê-lo na hora do jogo.

Outra coisa legal é algo simples contar a história com pausas:
“Deixa eu te contar o que me aconteceu!”
“O que?”
“Eu sai hoje…”
“E…?”
“Sai!”
“Só?”
“Não! Eu sai hoje e encontrei, adivinha quem?”
Deixe-o chutar alguém, na verdade deixe-o chutar todos os “alguéns” que possa existir, depois dê uma dica:
“Não é careca!”, ele vai gritar algo do tipo que não tem como adivinhar, que coisa chata…, dê-se por vencida, mas ainda continue chateando, “Tá bom, FU-LA-NO!!! E ele me disse, adivinha o que?”
Se ele for idiota vai tentar adivinhar senão vai gritar, caso grite pare a história já e saia, se ele for curioso ele vai lhe adular. Se não for, é o fim.
Você também pode contar seu dia longamente:
“Hoje eu sai pelo elevador, no 10º andar entrou uma senhora, no 9º um casal e eu fiquei pensando quantas pessoas cabiam no elevador, ai no 8º não entrou ninguém, na verdade a porta nem abriu. Acredita? Nem abriu! Quando cheguei no terreo… Ah! Antes disso entrou uma mulher com uma saia de bolinhas no segundo, ai eu fiquei perguntando porque ela desceu de elevador no segundo andar, poderia ir pela escada, não? Preguiçosa!”, ele irá perder a calma, “Calma ainda não cheguei na melhor parte. Desci, cumprimentei o porteiro e fui para a parada, meu cartão tinha 7,15, só? Pensei que estava um roubo!”, novamente ele vai dá um grito e perguntar onde você quer chegar com essa história, então leve-o para um lugar inusitado: “Queria falar que notei antes de você sair para sua aula a noite que essa calça não combina com essa blusa…”. Com certeza seu parceiro/irmão/companheiro/pai… vai lhe olhar com aquela cara de: VOCÊ TEM SÉRIOS PROBLEMAS MENTAIS. Senão, ela poderá gritar, bater, esmurrar ou rir. O ideal é que grite.
Assuste-o sempre, não faço mais com Natalício. Mas sempre que possível tento rir de algo que ele fez ou imitar algo que ele fez errado. Voltando ao susto. Os sustos são meu hobbie, minha arma em situações de tédio absoluto. Passo horas planejando onde me esconder para gritar BUUUUUUUU. O problema é que não posso, Natalício não gosta :(.
Use sempre o mesmo ditado.
Se ele tirou nota baixa: “Tudo passa até uva passa!”
Se ele está gripado: “Tudo passa até uva passa!”
Se ele está passando pano: “Você passa, uva passa!”, isso irrita qualquer um.
No ônibus faça assim: “Tudo passa…”, ele vai lhe olhar e dizer: “Até uva passa!”, você dê palminhas nas costas dele e diga: “Não repita isso em público…”
Finalmente, as músicas!
Esse é o ponto final em qualquer relação.
Decore músicas estranhas, músicas infantis e se puder invente coreográfia esdruxulas.
As minhas favoritas são, Chaves:
Quero que saiba que sou feliz e sua casa é uma gracinha. E se as vezes eu choro a noite é que me lembro de minha mãezinha!”, essa na quinta vez já o faz sair do sofá.
“Por Grayscow She-ra me apresenta pro He-man, seu irmãozinho é uma gracinha e eu sou todinha do beeeeeeem.
Por Grayscow She-ra, He-man é um gato alto astral, desculpe se eu sou ousadinha, beijinho-beijinho, xau-xau!”, essa você canta no elevador, há câmeras e é um lugar fechado, você não irá apanhar e ele não vai fugir.