Diário de uma Malvada

 

 

            Querido Diário… Maquiavélico Diário!

            As vezes me pergunto se alguém consegue me entender, então, olho para você e vejo suas páginas amareladas, as minhas letras douradas, lembro do seu silencioso e deleite por minhas maldades. Sei que em você diário encontro um cúmplice.

            Hoje, pela manhã, acordei tarde, linda e maquiada como toda herdeira bilionária. Como não havia muito o que fazer demiti a serviçal, minha irmã gêmea Rosalinda. Aquela estúpida, quando servia bloondmary ousou comentar que éramos muito parecidas, maldita! Tudo bem, somos gêmeas, mas ela não sabe disso. Eu sou a irmã bilionária, herdeira de uma multinacional, que usa sapatos manolos e vestidos armanis, e ela a irmã pobre que deu azar de acharem que nasceu morta. É a vida! O que posso fazer? Aquela vagabunda não vai querer que agora, nessa altura do campeonato eu divida minha herança, não é? Foi o destino, agora ela tem que aceitar viver no seu casebre com aqueles seis órfãos e não desconfiar que eu atropelei seu noivo.

Sempre que me lembro do barulho que o carro fez quando atropelei o Alfredo, justamente no momento que ele tinha comprado a aliança de casamento quase faço xixi de tanto rir. Eles iam, provavelmente, me chamar para ser madrinha desse casamento na “perifa”.

Aproveitei que ele estava em coma e ser considerado indigente para trocar o sexo do Alfredo. Para minha vida ser melhor basta ele sofrer amnésia. Tudo bem, o SUS não pagou a cirurgia e eu tive que fazer um “caixa 100” na empresa para mais esse gasto, mas foi um investimento. Caso ele recupere saia do coma, recupere a memória, ainda terá que dá um jeito na sua vida antes de se meter na minha. Ai, meu caro diário, pedras irão rolar na cabeça do Alfredo Carlos Teodoro Prado Viana, ou seria, Ana Carla Padilha?

Quando o médico terminou a cirurgia fiquei me perguntando se essa tinha sido minha maior maldade. Mas ai lembrei do dia que toquei fogo no orfanato. Malditas crianças boazinhas. Tinham que fazer uma homenagem a mim? “Nós te amamos, Titia Letícia Luiza Gabriela Alcântara Matias Pimenta!”. Não cortei outra, taquei fogo no orfanato. Mas é claro que a imbecil da Fernanda Rita tinha que entrar nas chamas salvar todas as crianças, os animais e no final apagar o incêndio. Tinha que ser uma camponesa estúpida, nem para pipocar no fogo serve. Por isso que sem dó eu deitei no feno com aquele peão imundo Arthur Tião, o noivo dela. Ele deu bola, juro! Tudo bem, casado com aquela mocoronga sem batom, esmalte e ainda por cima usando roupas de algodão colorido não é de se esperar que ele enlouqueça sempre quando vê minha figura maligna, morena e bem vestida.

A tarde, antes de ir ao salão passei no asilo para vê a Clara Amara, mamãe. Certifiquei que minha identidade falta e meu falso registro no COREN continuam valendo, então, a enfermeira Mariana entrou em ação. Dei os remédios para que a mamãe continuasse agindo como louca. Aproveitei a fantasia e mais uma vez fui na maternidade, roubei um bebê e troquei a etiqueta dos outros. No caminho, deixei o bebê na igreja, afinal, para que diabos vou querer um saco de fezes e mal cheiro?

Foi quando estava saindo que encontrei a Rosalinda pedindo esmola, ela e aqueles seis órfãos. Ela me pediu desculpas pelo que fez pela manhã e pediu piedade, nossa como sou bondosa, mandei que lavasse minha “bêmi” e aproveitei para colocar suas digitais no carro que será roubado mais tarde. Ainda é um plano não concluído, caro diário. Mas pretendo incriminá-la pela morte do Ricardo, sim o papai. Ainda não consegui dá fim no corpo e preciso fazer isso logo. Por isso quero as digitais e uma peruca loira, assim me transformarei na doce e linda Rosalinda, a assassina de papai. Ensaiei até as lágrima, diário. “Ela nunca me enganou…”.

Eu sei, o Ricardo não precisava morrer. Só que eu tinha aquele anelzinho com veneno dentro e ele vivia me enchendo sobre ser uma pessoa melhor, não matar meus amigos e irmãos, dar esmola e não me envolver com a política que essa foi a decisão mais simples. Só que depois de envenando eu fiquei sem saber o que fazer com o corpo a solução, agora, é um seqüestro e tudo estará resolvido, espero.

A noite, fui para a empresa chantagear a Suzanita, aquela secretária imbecil. Eu forjei umas fotos dela com o Guilherme e agora estou ameaçando entregá-la a Olívia. E ela, muito boa, fica me pedindo para não fazer isso, soluça, implora e eu me divirto, claro. Ela morre de medo que a Olívia pense que eles tiveram um caso e que pode querer culpá-la pela morte do Guilherme. Como você deve saber meu diário, eu fui a responsável. Eu troquei os comprimidos do coração do Guilherme por naftalina e fiquei esperando ele chegar para irritá-lo bem muito, então, ele bolou da escada e morreu. A Olívia quase enlouqueceu, mas o golpe de misericórdia foi trocar a filha dela por uma abóbora. Quando eu cheguei ela chorava e se perguntava quem poderia ter feito tamanha maldade. Eu fiquei lá me deleitando com as lágrimas dela e sua cara de tacho. Gritava que a filha era cega, essas coisas. Ninguém suspeitou.

A criança foi parar na casa da Rosalinda e ela tratou de criar. Pobre e seu grande coração, para mim isso é doença. Não bastava seis órfãos ela ainda inventa de criar uma enjeitada cega? Só sendo pobre mesmo… Só sendo pobre! Outro dia chamei a menina para lavar meu carro e ela disse: “Tia, não posso sou cega”. Por isso que esse país não vai para frente, sempre com desculpas. Deveriam seguir o exemplo da China: tem mão, trabalha! Dá para cozinhar, come! Mas aqui para tudo arrumam uma desculpa, ai…ai…

Amanhã pretendo pintar o cabelo e inventar algum boato. A noite, acho,  vou dá uma passadinha lá no Rubens e finjo que estou apaixonada, assim ele concorda em transferir pra mim a direção do orfanato. Vou fechar aquele mocó antes que os pivetes possam dizer “nós te amamos, professor Rubens!”. Bem, maligno diário, fico por aqui. Te deixarei na segurança que em cima da mesa do escritório, ninguém te abrirá. Ninguém ousará abri-lo e encontrar todas as minhas falcatruas. Sou uma vilã, quase uma divindade por aqui. Sou Letícia Luiza Gabriela Alcântara Marias Pimenta. Boa Noite!!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s